Cotações

Informativo

Perdas de Nitrogenio da Uréia


1. Perdas de nitrogênio da ureia


1.1. Volatilização da amônia (NH3)


A ureia é o fertilizante nitrogenado mais usado no Brasil, devido a sua concentração, custo e facilidade de fabricação.
Porém, apresenta uma séria limitação quando aplicada em superfície, devido a perdas por volatilização de NH3. Perde-se de 20 a 30%, podendo chegar até 60 ou 70% em algumas condições.
As perdas por volatilização de NH3 são dependentes de manejo do solo e condições climáticas. A aplicação na superfície do solo, principalmente em solos úmidos, aumenta a perda de NH3. A matéria orgânica promove uma maior atividade da uréase, alem de dificultar a difusão de amônio para o interior do solo.
A urease é uma enzima produzida por microorganismos do solo que facilita a quebra da molécula de ureia, transformando-a de volta em amônia, gás carbônico e água, causando altas perdas de N para a atmosfera.
Sabe-se que a presença da enzima urease é abundante em todos os solos, porém a quantidade exata é difícil de ser medida. Entretanto, existem cinco principais fatores que influenciam muito na sua atividade.
1. Temperatura: quanto maior a temperatura do solo, maior a atividade da enzima;
2. Umidade: quando não há umidade suficiente para a incorporação da ureia no solo, as perdas são significativamente aceleradas pela existência desta;
3. Teor de matéria orgânica: quanto maior o teor de matéria orgânica, maior a atividade da enzima;
4. Textura de solo e CTC (capacidade de troca de cátions): a atividade da enzima urease é maior em solos argilosos de elevada CTC;
5. pH: a enzima é mais ativa em solos com pH’s mais elevados.
Como ocorre a volatilização.
1 - Sendo a ureia muito solúvel seu grânulo dissolve-se gradualmente na água do solo formando uma micro região com alta concentração de ureia.
2 - A ureia na solução é hidrolisada pela urease (enzima existente no solo), formando carbonato de amônio: CO(NH2)2 (ureia) → (NH4)2 CO3 (carbonato de amônio).

3 - O carbonato de amônio se hidrolisa em: (NH4)2 CO3 + H2O → 2 NH4+ + OH- + HCO3

Devido a formação de OH-, o pH ao redor do grânulo pode atingir valores de 8 a 9.

4 - Em condições de pH acima de 7 o equilíbrio é favorecido para a direita, formando-se então NH3 que é volátil.
NH4+ + OH- → NH3 + H2O

1.1.2. Principais alternativas para evitar perdas de nitrogênio por volatilização
1. Incorporação mecânica da ureia no solo;
2. Quantidade adequada de umidade, por chuva ou por irrigação (20-30 mm), logo após a aplicação da ureia.
3. Utilizar UREMAX NBPT®.
1.2. Lixiviação de nitrato (NO3)

O movimento de água do solo para as partes mais profundas ocorre quando o teor de umidade no mesmo excede a capacidade de campo e a precipitação excede a evapotranspiração. Estes fenômenos concorrem para o arraste do nitrogênio (lixiviação) para regiões fora do alcance das raízes das plantas.

O tipo de cultura, a quantidade de nitrogênio aplicada, precipitação e características climáticas são os principais fatores que governam as perdas de N por lixiviação.
Com a aplicação de ureia o processo de lixiviação tem grande importância, pois pode representar perdas de mais de 30%.

O nitrato (NO3) é a forma mineral de nitrogênio predominante nos solos sem restrição de oxigênio. Devido ao predomínio de cargas negativas na camada arável, a sua adsorção eletrostática é insignificante. Desta forma, o nitrato permanece na solução do solo, o que favorece sua lixiviação no perfil para profundidades inexploradas pelas raízes (Ceretta & Fries, 1997). A lixiviação de nitrato é considerada a principal perda de N disponível às plantas (Errebhi et al, 1998). Ela é influenciada diretamente pelos fatores que determinam o fluxo de água no solo e pela concentração de NO3 na solução (WHITE, 1987).

O agravante é que essas perdas não são só econômicas, mas podem causar danos ambientais.

Principais danos;

- Contaminação das águas subterrâneas.

Os nitratos e nitritos dissolvidos nas águas subterrâneas são indiretamente consumidos por seres humanos, em quem causam efeitos negativos para a saúde. Entre os problemas mais comumente observados estão a disfunção da glândula tireóide, produção de nitrosaminas (que geralmente causam câncer), além da diminuição na capacidade do sangue para transportar oxigênio (metahemoglobinemia), conhecida também como síndrome do “bebê azul”.

- Promove o aparecimento de algas (eutroficação) e outros vegetais aquáticos em corpos d’água de superfície, o que afeta a qualidade da água para uso doméstico, recreação e pode dizimar a população de peixes por eliminação do oxigênio na água.

- Contribuem para um aumento no efeito estufa e degradação da camada de ozônio.


1.3 Como age o UREMAX NBPT®, minimizando perdas por volatilização de NH3.
O UREMAX NBPT® é uma solução química (emulsão catiônica e solvente) que incorpora a molécula de NBPT em sua formulação para ser aplicado sobre a ureia a fim de reduzir as perdas de nitrogênio por volatilização através das inibições reversíveis competitivas e não-competitivas, estendendo a disponibilidade do nitrogênio por um período mais prolongado e, por conseqüência, há o retardo do pico de N, maior absorção pela planta e maior produtividade.

 

 

Sinergia de tecnologias
A união destas duas tecnologias de inibição, já bem conhecidas nos estudos mundiais, traz um produto único que agrega proteção à volatilização de nitrogênio em dois diferentes processos físico-químicos. O UREMAX NBPT® é o único produto no mercado que possui as duas tecnologias de inibição conjugadas em uma única formulação.



1.4 Como funciona o UREMAX NBPT®, minimizando perdas por lixiviação de NO3.
Retarda o pico de disponibilidade do nitrogênio, evitando o aumento rápido da concentração na solução do solo, e por conseqüência diminui a taxa de nitrificação e posterior lixiviação de nitrato (NO3).

1.5 UREMAX NBPT®, minimizando perdas de N por volatilização e lixiviação.
Estas são as principais fontes de perda de nitrogênio, podendo atingir até 80%, causando diminuição da produtividade dos cultivos, prejuízos ao agricultor e danos ao meio ambiente.
UREMAX NBPT® apresenta-se como uma excelente alternativa agronômica para minimizar estas perdas.